"Eu não chamo de prostituição, chamo de liberdade", dispara Catarina Migliorini - Correio Cachoeirense

"Eu não chamo de prostituição, chamo de liberdade", dispara Catarina Migliorini

Se não tivesse entrado em um leilão para tentar vender sua virgindade, provavelmente Catarina Migliorini seria anônima até hoje. O projeto, parte de um documentário, rendeu fama e uma nova gama de possibilidades para a jovem. Com o prestígio adquirido depois do reboliço criado em torno do caso, ela chegou a ser capa da revista "Playboy" do último mês de janeiro.

Na noite da próxima quarta-feira, dia 27, vai ao ar a entrevista que a morena deu ao programa "De Frente com Gabi", mais um sinal de que agora está no hall das celebridades nacionais. Durante o longo bate-papo, Catarina rebateu as críticas que recebeu depois de ganhar as páginas dos maiores portais de notícias do Brasil e do mundo. "Eu não chamo de prostituição, chamo de liberdade", defendeu-se.

A catarinense de 20 anos contou a Marília Gabriela que recebeu mais duas propostas, além do lance de R$ 1,5 de um japonês, que tinha arrematado a sua primeira vez. "Um foi um pouquinho mais de US$ 1 milhão, o outro foi um pouquinho menos", revelou a bela, que está analisando as possibilidades.